Páginas


(clique abaixo para ouvir a música)

LITURGIA DIÁRIA

LITURGIA DIÁRIA - REFLEXÕES E COMENTÁRIOS

Diário de Quinta-feira 30/10/2014



Quinta-feira, 30 de outubro de 2014


Fácil é ouvir a musica que toca. Difícil é ouvir a sua consciência, acenando o tempo todo, mostrando nossas escolhas erradas.


EVANGELHO DE HOJE
Lc 13,31-35

— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo, + segundo Lucas.

31Naquela hora, alguns fariseus aproximaram-se e disseram a Jesus: “Tu deves ir embora daqui, porque Herodes quer te matar”. 32Jesus disse: “Ide dizer a essa raposa: eu expulso demônios e faço curas hoje e amanhã; e no terceiro dia terminarei o meu trabalho. 33Entretanto, preciso caminhar hoje, amanhã e depois de amanhã, porque não convém que um profeta morra fora de Jerusalém.
34Jerusalém, Jerusalém! Tu que matas os profetas e apedrejas os que te foram enviados! Quantas vezes eu quis reunir teus filhos, como a galinha reúne os pintinhos debaixo das asas, mas tu não quiseste! 35Eis que vossa casa ficará abandonada. Eu vos digo: não me vereis mais, até que chegue o tempo em que vós mesmos direis: Bendito aquele que vem em nome do Senhor”.



Palavra da Salvação
Glória a vós Senhor.





MEDITAÇÃO DO EVANGELHO
Padre Antonio Queiroz


Jerusalém, Jerusalém! Quantas vezes eu quis reunir teus filhos, mas tu não quiseste!
O Evangelho de hoje começa com alguém sugerindo a Jesus que fosse embora de Jerusalém, porque Herodes queria matá-lo. Herodes não se dava bem com profetas. Já tinha mandado matar João Batista, e agora tentava desfazer-se de Jesus, intimidando-o, para que se afastasse do seu território. Herodes tinha medo de os profetas, com a sua influência sobre o povo, desestabilizarem o seu poder e o seu prestígio.
Mas Jesus é um profeta corajoso: “Ide dizer a essa raposa: eu expulso demônios e faço curas hoje e amanhã; e no terceiro dia terminarei o meu trabalho”. Foi uma referência à sua ressurreição, três dias após a sua morte.
Nenhuma ameaça detinha Jesus; ele continuava fazendo o bem e cumprindo a missão que o Pai lhe confiara.
Jesus não procurou a morte, mas também não correu dela. Ele não queria morrer, como qualquer ser humano não quer morrer. Ele queria viver na terra noventa anos ou mais, a fim de consolidar bem o Reino de Deus.
Mas quando colocaram a morte no seu caminho, ele não arredou o pé. Foi duro para ele, como para qualquer ser humano; chegou a suar sangue, mas ficou firme.
Quando S. Pedro, diante do perigo da condenação de Jesus em Jerusalém, sugeriu a ele que não fosse para lá, Jesus lhe deu uma resposta pesada: “Vai para trás de mim, satanás! Tu estás sendo para mim uma pedra de tropeço, pois não tens em mente as coisas de Deus, e sim, as dos homens!” (Mt 16,23).
“Coisas de Deus” é fazer a vontade de Deus, confiando nele e arriscando até a vida terrena. “Coisas dos homens” é querer salvar a vida terrena, mesmo que se afaste um pouco da vontade de Deus. Jesus caminhava para Jerusalém porque fazia parte da sua missão recebida do Pai.
Que bom se nós fôssemos assim! “Tenham em vós os mesmos sentimentos de Cristo Jesus” (Fl 2,5).
“Se alguém quer me seguir, tome a sua cruz...” (Mc 8,34).
“Jesus Cristo me deixou inquieto, com as palavras que ele proferiu. Nunca mais eu pude olhar o mundo sem sentir aquilo que Jesus sentiu” (Música do Pe. Zezinho).
Vamos renunciar aos nossos interesses pessoais, e acolher com generosidade as mensagens dos profetas católicos de hoje, ainda que exijam de nós mudanças profundas!
Havia, certa vez, uma jovem, que cursava o primeiro ano de faculdade, e andava muito deprimida. Ela era, por sinal, uma garota muito bonita.
Um dia, ela foi ao banheiro da faculdade, olhou-se no espelho e pensou: como estou feia! E deu-lhe vontade de chorar.
Naquele instante, sentiu algo bater na sua perna. Olhou. Era uma moça cega, com a sua bengala, que lhe perguntou: “Moça, onde é a pia?” A cega também estudava na universidade, apesar da sua limitação. E, ali no banheiro, perdida, pediu ajuda a quem sentiu que estava na sua frente.
A menina que estava deprimida recebeu aquilo como um sinal de Deus. Deus estava lhe dizendo que o sentido da vida não está em ser bonita ou feia; está em servir o próximo.
O mundo está aí, em volta de nós, precisando de alguém que lhe ajude. Não podemos nos fechar em nosso mundinho! A garota ajudou a colega cega, da melhor maneira que pôde, e a tristeza sumiu de uma vez.
Deus nos manda profetas e profetizas, que nos falam das mais diversas formas. Que saibamos entender e acolher as suas mensagens, não imitando o povo de Jerusalém do tempo de Jesus.
A firmeza de Maria Santíssima, cujo coração foi transpassado pela espada de dor, seja para nós um exemplo. E que ela nos ajude a seguir o seu Filho, para onde quer que ele vá.
Jerusalém, Jerusalém! Quantas vezes eu quis reunir teus filhos, mas tu não quiseste!




MUNDO ANIMAL

Animais de estimação e calor humano


Um animal de estimação é capaz de operar milagres na vida do ser humano. A amizade que um cão proporciona, por exemplo, satisfaz as necessidades psicológicas básicas do homem. Cuidar de um animal também ajuda a curar doenças e espantar a solidão. Um estudo da Universidade de Miami, nos EUA, analisou a capacidade que os animais têm de reforçar a saúde mental daquele que nunca sofreu de solidão. Os pesquisadores observaram a atuação dos pets como um reforço da autoestima. O estudo descobriu que os proprietários de animais se sentiam menos solitários e tinham uma autoestima maior do que aqueles que eram sozinhos e não tinham animais para cuidar. Os cientistas chegaram a conclusão que os cães ajudam os homem a ter uma compreensão maior das necessidades sociais e, com isso, a sentir-se melhor com a vida. Os pesquisadores deixaram claro que animais não são uma substituição de amigos e familiares, mas proporcionam bem-estar, independente da companhia humana.

AUTOR: CAROLINA ABRANCHES
FONTE: DIÁRIO DO GRANDE ABC




MOMENTO DE REFLEXÃO


Olhei ao longe aquela montanha que eu teria que atravessar, parecia que o fim do mundo era ali mesmo. Seria impossível chegar até aquele lugar sozinho. Contratar um guia?. Não existiam guias , haja visto que ninguém havia chegado até lá. Ajudantes?. Nem pensar, todos tinham medo de arriscar-se por mim. Não, aquela era a minha viagem, eu teria que fazê-la de qualquer maneira, então comecei a minha caminhada....
No começo até que foi fácil, haviam muitas indicações, pessoas dispostas a ensinar, e por um bom tempo, eu fui feliz pois contava com o apoio de diversas pessoas por onde eu andava. Quando comecei a caminhar por terras distantes, comecei a sentir o vazio da solidão e, principalmente, a raiva por ter escolhido o caminho errado várias vezes. Sentia câimbras, dores
pelas picadas de insetos diversos, meu corpo estava machucado até o último osso...
Um dia, sentado a sombra de uma árvore gigantesca, desanimado com a longa caminhada que ainda tinha pela frente, olhei para um pássaro enorme voando alto, muito alto. Contemplei aquele lindo céu azul com poucas nuvens a enfeitar ainda mais o dia, e lembrei-me de Deus, daquele Deus que minha mãe falava quando eu era pequeno. Fiquei pensando em como seria bom ter uma companhia como Deus para aliviar um pouco do peso da minha jornada.
Fiquei ali pensando em como conversar com Deus e convidá-lo para minha jornada. Ia imaginando como seria se Ele estivesse ali ao meu lado e fui contando tudo que eu já havia passado e o medo do que ainda teria que passar. Falei das pessoas boas que encontrei pelo caminho, das pessoas maldosas, dos meus desejos e temores. Senti uma paz infinita, um sono gostoso foi se apossando de mim, fui adormecendo suavemente...
Quando acordei horas mais tarde, parecia renovado, parecia mais forte, uma determinação se apoderou de mim e naquele dia caminhei mais do que qualquer outro dia. Não sentia as picadas dos insetos, nas horas que eu tinha que escolher entre um e outro caminho, parecia que uma mão me guiava pelo caminho mais curto, mais tranqüilo valorizei cada passo, nunca me senti tão forte e tão determinado.
Anoiteceu, eu escolhi um lugar muito bonito para passar a noite, havia um riacho próximo e uma árvore frondosa me agasalharia a noite. Sentei -me junto a fogueira e, enquanto preparava meu jantar, pensava no que havia acontecido comigo naquele dia...afinal, nunca havia me sentindo tão bem como hoje.
Pensei de novo em Deus, naquele Deus que eu não conhecia, fiquei em silêncio e ouvi o riacho correndo próximo..., um pássaro piava distante, as folhas das árvores balançavam em movimento ritmado, o silêncio era tão bom que ouvi o descompasso do meu coração, foi nesse momento mágico, de encontro com a vida, com a natureza, que eu senti Tua doce presença, e ouvi dentro de mim uma voz que dizia amorosa:
"Quem Comigo segue, jamais estará sozinho;
Quem confia na minha presença, jamais sentirá o peso da jornada"


Paulo Roberto Gaefke


Diário de Domingo 29/10/2014



Quarta-feira, 29 de outubro de 2014


“Tudo aquilo que é exagerado, desconfie. Inclusive bondade.” Jufras Menhal


EVANGELHO DE HOJE
Lc 13,22-30

— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo, + segundo Lucas.

Jesus atravessava cidades e povoados, ensinando e prosseguindo o caminho para Jerusalém. Alguém lhe perguntou: “Senhor, é verdade que são poucos os que se salvam?” Ele respondeu: “Esforçai-vos por entrar pela porta estreita. Pois eu vos digo que muitos tentarão entrar e não conseguirão. Uma vez que o dono da casa se levantar e fechar a porta, vós, do lado de fora, começareis a bater, dizendo: ‘Senhor, abre-nos a porta!’. Ele responderá: ‘Não sei de onde sois’. Então começareis a dizer: ‘Comemos e bebemos na tua presença, e tu ensinaste em nossas praças!’ Ele, porém, responderá: ‘Não sei de onde sois. Afastai-vos de mim, todos vós que praticais a iniquidade!’ E ali haverá choro e ranger de dentes, quando virdes Abraão, Isaac e Jacó, junto com todos os profetas, no Reino de Deus, enquanto vós mesmos sereis lançados fora. Virão muitos do oriente e do ocidente, do norte e do sul, e tomarão lugar à mesa no Reino de Deus. E assim há últimos que serão primeiros, e primeiros que serão últimos”.


Palavra da Salvação
Glória a vós Senhor.





MEDITAÇÃO DO EVANGELHO
Padre Antonio Queiroz


Fazei todo esforço possível para entrar pela porta estreita.
Neste Evangelho, alguém pergunta a Jesus sobre o número dos que se salvam. Na resposta, Jesus vai ao mais importante, que são as exigências para se salvar. É preciso esforço e uma vida austera, simbolizada pela porta estreita.
A salvação depende da nossa vontade, uma vez que Deus dá a todos as graças suficientes para que se salvem. Mas precisamos colaborar e fazer a nossa parte, o que não é fácil. O Reino de Deus não é para os acomodados ou covardes, mas para os esforçados e corajosos.
Precisamos lutar contra os desejos imoderados, e os nossos instintos, que nos puxam para o mal, pois a nossa natureza foi ferida pelo pecado.
Precisamos lutar contra o egoísmo, que bate de frente com o mandamento do amor. Lutar contra o comodismo, vivendo como se o céu já fosse aqui na terra. Tudo isso é “porta larga”, que não conduz à salvação.
“Então começareis a dizer: ‘Nós comemos e bebemos diante de ti...’ Ele, porém, responderá: ‘Não sei de onde sois. Afastai-vos de mim todos vós que praticais a injustiça!’”
A prática da justiça é fundamental para se salvar. A virtude da justiça consiste em respeitar o direito dos outros, dando a cada um aquilo que é seu. Não adianta comermos e bebermos diante de Jesus, nem ouvi-lo nas praças, se não somos justos, honestos e verdadeiros, e se não cumprimos os nossos deveres. Esta é a porta estreita que nos leva ao Céu.
A vida cristã é realmente uma porta estreita. Por exemplo, as suas leis sobre o casamento, o uso do sexo, o perdão, o amor aos inimigos, a ajuda aos que precisam, a partilha dos bens com os necessitados... Não é fácil praticar a justiça e a honestidade, vivendo em um mundo que segue o caminho contrário.
Viver em Comunidade, junto com pessoas às vezes difíceis e complicadas, é também uma porta estreita.
Há pessoas que, atendendo ao apelo da Santa Igreja, tornam-se “discípulas e missionárias de Jesus Cristo, para que as pessoas tenham mais vida nele.”
“Há últimos que serão primeiros e primeiros que serão últimos”. Vamos “entrar pela porta estreita”, a fim de não termos decepções mais tarde.
Edel Quim nasceu na Irlanda, no começo do Séc. XX. Era uma garota muito bonita.
Desde que fez a primeira comunhão, ela recebia freqüentemente a Eucaristia. Ainda bem jovem, entrou na Legião de Maria, onde caminhou a passos largos na fé e na santidade.
Apesar de cobiçada por muitos rapazes, Edel decidiu não se casar, a fim de se dedicar tempo integral à Legião de Maria.
Em 1936, quando tinha 29 anos, Edel foi enviada para a África, a fim de difundir por lá a Legião de Maria. Conseguiu implantar o movimento em seis Países africanos: Quênia, Tanganica, Uganda, Niassalândia, Zanzibar e na ilha Maurícia.
Depois de dez anos na África, quando se preparava para iniciar a Legião em Nairobi, Edel contraiu a Tuberculose, que naquele tempo não tinha cura. Mesmo doente, a sua alegria e o seu entusiasmo não diminuíram.
Após sua morte, os legionários do Kênia foram a Nairobi e, com muita facilidade, implantaram a Legião naquele País.
Podemos dizer que Edel Quim assemelhou-se muito a Jesus, dando também a vida pelos irmãos. Aconteceu com ela o que Jesus disse: “Quem me come viverá por mim”.
Ela imitou também a Mãe de Jesus, já que o seu grupo chama-se Legião de Maria. Maria Santíssima e Edel Quim, rogai por nós!
Fazei todo esforço possível para entrar pela porta estreita.




CURIOSIDADES

1-O nome completo do Pato Donald é: Donald Fauntleroy Duck.


2- Mulheres com mais amigos homens do que amigas mulheres tendem a viver 5 anos a mais do que as demais.


3- Justin Bieber é o dono da foto mais curtida do Instagram em 2013.
Na foto ele posa ao lado de Will Smith: "Eu e tio Will".


4- 82% dos adolescentes não toca a campainha. Simplesmente manda SMS ou liga para dizer que está na porta.


5- Em Oregon, nos Estados Unidos, um homem foi preso por 30 dias e multado em $1.500 Dólares por ter coletado água da chuva. Por lá a chuva é considerada propriedade do Estado.


6- 90% das pessoas que falam coisas pesadas na sua cara em clima de brincadeira, na verdade elas dizem tudo o que queriam dizer à você, mas por algum motivo não tem coragem.


7- Um designer holandês está trabalhando com cientistas para criar árvores que brilham no escuro, para que um dia, eles possam usá-las no lugar de luzes de rua.


8- O único sentido que não descansa totalmente quando estamos dormindo é a nossa audição.


9- O único lugar onde você pode fazer cócegas em si mesmo é no céu da boca.


10- Croácia é o país com o pôr-do-sol mais belo do mundo.



MOMENTO DE REFLEXÃO


O mundo está cheio de queixas.
De pessoas que se dizem solitárias.
Que desejariam ser amadas.
Que vivem em busca de alguém que as ame, que as compreenda.
O mundo está cheio de carências.
Carências afetivas.
Carências materiais.
Possivelmente, observando o panorama do mundo onde vivia foi que Madre Teresa de Calcutá, certo dia, escreveu:
Senhor, quando eu tiver fome, dai-me alguém que necessite de comida.
Quando tiver sede, dai-me alguém que precise de água.
Quando sentir frio, dai-me alguém que necessite de calor.
Quando tiver um aborrecimento, dai-me alguém que necessite de consolo.
Quando minha cruz parecer pesada, deixai-me compartilhar a cruz do outro.
Quando me achar pobre, ponde a meu lado alguém necessitado.
Quando não tiver tempo, dai-me alguém que precise de alguns dos meus minutos.
Quando sofrer humilhação, dai-me ocasião para elogiar alguém.
Quando estiver desanimada, dai-me alguém para lhe dar novo ânimo.
Quando sentir necessidade da compreensão dos outros, dai-me alguém que necessite da minha.
Quando sentir necessidade de que cuidem de mim, dai-me alguém que eu tenha de atender.
Quando pensar em mim mesma, voltai minha atenção para outra pessoa.
Tornai-nos dignos, Senhor, de servir nossos irmãos que vivem e morrem pobres e com fome no mundo de hoje.
Dai-lhes, através de nossas mãos, o pão de cada dia, e dai-lhes, graças ao nosso amor compassivo, a paz e a alegria.

Madre Teresa verdadeiramente conjugou o verbo amar na prática diária.
Sua preocupação era em primeiro lugar com os outros.
Todos representavam para ela o próprio Cristo.
Em cada corpo enfermo, desnutrido e abandonado, ela via Jesus crucificado em um novo madeiro.
Amou de tal forma que estendeu a sua obra pelo mundo inteiro, abraçando homens de todas as nações e credos religiosos.

Honrada com o Prêmio Nobel da Paz, prosseguiu humilde, servindo aos seus irmãos da romagem terrestre.
Tudo o que lhe importava eram os seus pobres.
E os seus pobres eram os pobres do mundo inteiro.

Amou sem fronteiras e sem limites.
Serviu a Jesus em plenitude.
E nunca se ouviu de seus lábios uma queixa de solidão, amargura, cansaço ou desânimo.
Sua vida foi sempre um cântico de fidelidade a Deus, por meio dos compromissos com as lições deixadas por Jesus.
*   *   *
O Cristo precisa de almas dispostas e decididas que não meçam obstáculos para servi-LO.
Almas que se lancem ao trabalho, por mais exaustivo que seja, porém sempre reconfortante e luminoso, desde que possa ser útil de verdade.
Almas que não esperem nada do beneficiado, por suas mãos socorrido, a não ser a sua felicidade, sob as luzes do amigo Jesus.
Almas cujo único desejo seja o de amar intensamente, sem aguardar um único gesto de gratidão.


Almas que tenham entendido o que desejou dizer Francisco de Assis: É melhor amar do que ser amado.

Diário de Terça-feira 28/10/2014



Terça-feira, 28 de outubro de 2014
São Simão e São Judas, Apóstolos


“A tua paciência é infinita. O que te aflige é o despertar da impaciência. Trabalhe nisso, mantenha-a sob controle.”


EVANGELHO DE HOJE
Lc 6,12-19

— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo, + segundo Lucas.


12Naqueles dias, Jesus foi à montanha para rezar. E passou a noite toda em oração a Deus. 13Ao amanhecer, chamou seus discípulos e escolheu doze dentre eles, aos quais deu o nome de apóstolos: 14Simão, a quem impôs o nome de Pedro, e seu irmão André; Tiago e João; Filipe e Bartolomeu; 15Mateus e Tomé; Tiago, filho de Alfeu, e Simão, chamado Zelota; 16Judas, filho de Tiago, e Judas Iscariotes, aquele que se tornou traidor.
17Jesus desceu da montanha com eles e parou num lugar plano. Ali estavam muitos dos seus discípulos e grande multidão de gente de toda a Judéia e de Jerusalém, do litoral de Tiro e Sidônia. 18Vieram para ouvir Jesus e ser curados de suas doenças. E aqueles que estavam atormentados por espíritos maus também foram curados. 19A multidão toda procurava tocar em Jesus, porque uma força saía dele, e curava a todos.


Palavra da Salvação
Glória a vós Senhor.





MEDITAÇÃO DO EVANGELHO
Padre Antonio Queiroz


Jesus subiu a montanha para rezar. Ao amanhecer, escolheu os doze Apóstolos.
Hoje é com alegria que nós celebramos dois Apóstolos: S. Simão e S. Judas Tadeu. O Evangelho, próprio da festa, narra o chamado de Jesus aos Apóstolos. Conforme o evangelista S. Marcos (Mc 6,3), eles eram primos de Jesus.
O Evangelho diz que “Jesus foi à montanha para rezar”. Alguns discípulos subiram com ele, outros ficaram na planície. O grupo “passou a noite toda em oração a Deus. Ao amanhecer, Jesus chamou seus discípulos e escolheu doze dentre eles, aos quais deu o nome de apóstolos”. Foi um prêmio ao grupo mais fiel a Jesus que renunciaram a comodidade de ficar na planície e subiram a montanha com Jesus.
Eles fizeram, ao mesmo tempo, oração e penitência, passando a noite acordados. No outro dia, estavam preparados para ouvir Deus falar.
Ao descerem da montanha, viram “uma grande multidão”. Sinal que estava na hora mesmo de Jesus organizar o seu grupo.
Simão é natural de Caná da Galiléia (Cf Mc 3,18). Ele era filiado ao partido político dos Zelotas, que tinha por objetivo libertar o País dos romanos.
Jesus gostava desse tipo de gente, mesmo que ele não concordasse às vezes com o que eles queriam. Veja o casa de S. Paulo, que era um jovem comprometido em acabar com os cristãos, porque achava que isso era um bem. Sinal que ele era uma pessoa de ideal, alguém que abraça uma causa e luta por ela.
O que Jesus detestava eram essas pessoas sem posição, sem marca, sem identidade nem ideal, que, nos conflitos, ficam em cima do muro. “Porque és morno, nem frio nem quente, estou para vomitar-te de minha boca!” (Ap 3,16).
As pessoas amorfas são presas fáceis da sociedade de consumo. Elas não têm opinião formada sobre nada. Não são contra nem a favor, muito pelo contrário. Nós as chamamos de maria-vai-com-as-outras.
Segundo a tradição, S. Simão pregou o Evangelho no Egito, onde morreu mártir.
S. Judas é mais conhecido nosso. É o “santo das causas difíceis”. Seu pai se chamava Tiago. Ele pregou na Palestina, na Síria, na Mesopotâmia, na Armênia e na Pérsia. Ele foi morto a machadadas. Por isso que ele é apresentado com uma machadinha ao lado.
O evangelista S. João traz uma passagem onde aparece S. Judas: Disse Jesus: “Quem acolhe e observa os meus mandamentos, esse me ama. Ora, quem me ama será amado por meu Pai, e eu o amarei e me manifestarei a ele. Judas (não o Iscariotes) perguntou-lhe: ‘Senhor, como se explica que tu te manifestarás a nós e não ao mundo:’ Jesus respondeu-lhe: ‘Se alguém me ama, guardará a minha palavra; meu Pai o amará, e nós viremos e faremos nele a nossa morada’” (Jo 14,21-23). Está aí a explicação por que as pessoas que desobedecem os mandamentos acabam se desviando na fé. Deus só se manifesta aos que observam os seus mandamentos!
S. Judas tem uma carta na Bíblia. É curtinha, tem apenas uma página, mas é riquíssima.
Ele cita, por exemplo, a ganância: “Os gananciosos apascentam a si mesmos. Por isso, são como nuvens sem água, que são levadas pelo vento; e como árvores frutíferas que não dão fruto, e por isso são cortadas pelo agricultor. São também como as ondas bravias do mar: fazem espumam bonitas, mas em poucos segundos acaba tudo. São ainda como meteoros à noite no céu: brilham, mas logo depois volta a escuridão”.
Veja outra passagem da carta: “Rezem, e mantenham-se unidos no amor de Deus. Procurem convencer os vacilantes. E não se deixem contaminar pelos maus costumes dos pagãos”.
E ele termina com uma oração: “Ao Deus único, que nos salva por meio de Jesus Cristo, nosso Senhor, glória, majestade, domínio e poder, desde antes de todos os séculos, agora e por todos os séculos. Amém.”
Vamos apresentar a Maria Santíssima e aos Apóstolos S. Simão e S. Judas as nossas causas difíceis, e tudo o que precisamos, para que intercedam por nós.
Jesus subiu a montanha para rezar. Ao amanhecer, escolheu os doze Apóstolos.





VIDA SAUDÁVEL

Perguntas freqüentes sobre psicologia

A psicoterapia visa conduzir o indivíduo ao –
O QUE FAZ UM PSICÓLOGO? O Psicólogo é um profissional graduado em Psicologia, ciência humana que estuda processos mentais, sentimentos, pensamentos e comportamentos. Ele é habilitado pelo Conselho Regional de Psicologia (CRP) para exercer funções em diversas áreas: clínica, da saúde, hospitalar, neuropsicologia, educacional, forense, jurídico, do esporte, organizacional, do trabalho, entre outras. –

O QUE É A PSICOLOGIA CLÍNICA? Em linhas gerais, a prática da Psicologia Clínica consiste na avaliação dos fenômenos psicológicos e na psicoterapia. O psicólogo estuda, pesquisa e avalia o desenvolvimento emocional, os processos mentais e sociais das pessoas. Ainda, elucida alguns conflitos ou possíveis transtornos mentais e realiza atendimento clínico. –

QUAL É A DIFERENÇA ENTRE UM PSICÓLOGO E UM PSIQUIATRA? O psiquiatra é graduado em Medicina, que fez sua residência médica em Psiquiatria, o que lhe permite a prescrição de fármacos. Ele realiza diagnósticos de transtornos mentais através de observações clínicas, recursos tecnológicos (radiodiagnóstico, electroencefalogramas, etc), exames clínicos, entre outros, e o tratamento é predominantemente baseado na terapia medicamentosa (psicofármacos), embora muitos psiquiatras atualmente também realizem a psicoterapia. O psicólogo, por sua vez, não é um médico, mas sim um profissional com graduação em Psicologia. Assim, seus diagnósticos são baseados em entrevistas, observações clínicas, questionários e instrumentos de avaliação específicos da sua área. Ainda, seu tratamento consiste na intervenção psicoterapêutica ou reabilitação, sem a prescrição de medicamentos. Apesar das especificidades, as duas áreas estão interligadas e os profissionais trabalham juntos quando necessário. –

O QUE É UMA PSICOTERAPIA? A psicoterapia visa conduzir o indivíduo ao desenvolvimento de uma maior percepção de si e do mundo, a partir de uma profunda reflexão sobre seus comportamentos, pensamentos e sentimentos, bem como das conseqüências destes sobre sua vida. Com isso, terá condições de tomar decisões e fazer escolhas de forma mais consciente, podendo assim viver de forma mais saudável e satisfatória. –

QUAIS SÃO OS PROFISSIONAIS QUE PODEM PRATICAR PSICOTERAPIA? A psicoterapia pode ser praticada por psicólogos que tenham registro no CRP, ou por profissionais que tenham formação, teórica e clínica, em psicoterapia (geralmente psiquiatras ou profissionais da área da saúde). Aconselha-se sempre que o cliente verifique a formação profissional para garantir que este seja habilitado para exercer a prática psicoterapêutica. –

COMO É A RELAÇÃO ENTRE PACIENTE E PSICOTERAPEUTA? O paciente e o psicoterapeuta estabelecem uma relação na qual o primeiro precisa ter basicamente confiança e disposição para auto-reflexão e o segundo aptidão para ajudar. O psicoterapeuta não pode se envolver emocionalmente com o paciente, pois além de ser um erro técnico, envolve questões éticas. Ainda, nesta relação alguns limites devem ser bem estabelecidos desde o início do atendimento. –

QUANDO DEVO PROCURAR UMA PSICOTERAPIA? A psicoterapia é indicada para pessoas que estejam passando por qualquer tipo de dificuldade e estejam em busca de uma ajuda profissional para compreender suas questões, e com isso, lidar de maneira mais saudável com seus problemas. Ainda, muitas vezes as pessoas podem procurar este tipo de atendimento em busca de um autoconhecimento, para encontrar uma nova direção, novas formas de expressão para seus talentos, enfim, descobrir suas potencialidades e limites. “O principal objetivo da terapia psicológica, não é transportar o paciente para um impossível estado de felicidade, mas sim ajudá-lo a adquirir firmeza e paciência diante do sofrimento. A vida acontece num equilíbrio entre a alegria e a dor”. Carl G. Jung –

EU NÃO POSSO RESOLVER MEUS PROBLEMAS SOZINHO? NÃO VOU FICAR DEPENDENTE DA TERAPIA? Com toda certeza você pode resolver seus problemas sozinho; o psicólogo não os resolverá por você, nem deve lhe dizer o que fazer. Ao contrário, o psicoterapeuta ético e preparado irá ajudá-lo a refletir sobre seus problemas, e assim você alcançará soluções mais criativas e eficazes para solucioná-los. A idéia do trabalho é que o cliente possa ter um ponto de vista externo sobre questões de sua vida, ampliando sua visão sobre a realidade para que tenha sempre capacidade de refletir sobre suas escolhas, podendo solucionar seus problemas da forma que considerar mais adequada. Ainda, o terapeuta estimulará o desenvolvimento do auto-suporte, para evitar que o cliente fique dependente da terapia. –

COMO DEVO ESCOLHER UM PSICOTERAPEUTA? Esta é uma questão muito pessoal, não existem regras pré-estabelecidas Dentro da psicologia existem diferentes abordagens teóricas, que apresentam visões de homem e procedimentos terapêuticos diferentes. Cada profissional escolhe determinada linha de atuação de acordo com sua própria visão de homem e mundo. Contudo, todas têm como principal finalidade propiciar uma auto-reflexão. Assim, o mais importante na escolha de um psicoterapeuta é você conhecer o profissional, sentir-se à vontade com ele e com a maneira com que ele trabalha, para que possa desenvolver uma relação de confiança. Vale lembrar que é indicado verificar se o profissional possui realmente formação e habilitação para realizar o atendimento clínico. –

QUAIS SÃO OS TIPOS DE PSICOTERAPIA? .
PSICOTERAPIA INDIVIDUAL: a pessoa é atendida individualmente, expõe seus conflitos, e o terapeuta estimulará reflexões, acompanhando o cliente em seu autoconhecimento. .
PSICOTERAPIA GRUPAL: por indicação do terapeuta, os grupos são formados para auxiliar no crescimento e autoconhecimento de cada membro. A partir de técnicas específicas, o terapeuta realiza sessões de modo que os próprios membros do grupo atuem como “espelhos” do outro, e aprendam ainda mais sobre si mesmos. .
PSICOTERAPIA FAMILIAR: os membros da família são reunidos em conjunto, os problemas emocionais e as dificuldades de relacionamento são elucidados e trabalhados de forma a melhorar a harmonia entre eles. .
PSICOTERAPIA DE CASAL: o casal é atendido em conjunto, e como na terapia familiar, as questões serão elucidadas, e o terapeuta trabalhará de modo a resgatar a comunicação entre eles. .
PSICOTERAPIA DE APOIO: visa dar suporte emocional ao paciente, tranqüilizando, confortando, esclarecendo, acolhendo etc. . PSICOTERAPIA BREVE: psicoterapia em que a pessoa tem uma determinada questão, e o foco do atendimento será basicamente a resolução desta. A partir disso, o paciente pode finalizar o tratamento ou continuar com outra técnica. –

ONDE, COMO E QUANDO ACONTECE A PSICOTERAPIA? A freqüência das sessões varia de acordo com a pessoa e com o tipo de terapia. Geralmente, as sessões são semanais com duração média de 1 hora. O local deve ser livre de interferências externas, para garantir a privacidade e o sigilo. A duração total do tratamento é considerada individualmente, dependendo das questões de cada um, e será avaliada tanto pelo cliente quanto pelo psicoterapeuta no decorrer do trabalho.

- A PSICOTERAPIA É MAIS DO QUE CONVERSAR? Muitas pessoas pensam: “Eu tenho amigos, converso com eles sobre meus problemas e não resolve”. Com toda certeza, ter uma rede de apoio sólida, como amigos ou parentes é fundamental para uma vida mais saudável, e poder contar com eles é muito importante. Mas realmente, muitas vezes essas conversas não resolvem, pois acabam sendo mais um desabafo, troca de experiências ou conselhos. Por outro lado, a natureza da “conversa” ocorrida no contexto da psicoterapia tem um embasamento teórico, e visa um processo profundo de autoconhecimento e mudança pessoal. Isso acontece porque o psicoterapeuta estudou para isso, e utiliza técnicas especializadas para compreender com maior profundidade o que está sendo falado. Ele passou por anos de formação e foi treinado para escutar o paciente em suas motivações e atitudes que, muitas vezes, podem ser inconscientes. Assim, pode ajudar o cliente a enxergar determinados aspectos desconhecidos, de maneira profissional, enquanto os amigos não estão habilitados, ou muitas vezes, não se sentiriam à vontade para falar sobre determinadas questões. –

COMO VOU DIZER AOS OUTROS QUE ESTOU FAZENDO TERAPIA? E O QUE OS OUTROS VÃO PENSAR? Muitas pessoas relutam em procurar um atendimento psicológico por preconceito, por acharem que “só louco” vai ao psicólogo, medo do que os outros vão pensar, por acharem que são capazes de resolver tudo sozinhos, ou até por ainda não entenderem os benefícios desta prática. Para responder aos outros, é necessário antes de qualquer coisa que a própria pessoa esteja livre de preconceitos e disposta a possíveis transformações. Assim, poderá responder aos outros com a mesma naturalidade de quem está realizando qualquer tipo de atividade que proporcione um bem-estar. –

QUANDO VOU TER "ALTA" DA TERAPIA? Essa é uma dúvida muito comum que procuro esclarecer desde o primeiro atendimento. Ao contrário do modelo de atendimento médico, em que o tratamento pressupõe início, meio e fim, na psicoterapia não existe este conceito de “alta”. O término do processo dependerá muito de cada pessoa, e será avaliado tanto pelo psicoterapeuta quanto pelo cliente no decorrer do trabalho. O processo de autoconhecimento não se esgota nunca, mas a pessoa com o tempo poderá fazer isso sozinha. –

O QUE EU FALAR PARA MEU PSICOTERAPEUTA FICARÁ MANTIDO EM SIGILO? O sigilo profissional é uma das condições primordiais no atendimento psicológico, constando inclusive do Código de Ética: “É dever do psicólogo respeitar o sigilo profissional a fim de proteger, por meio da confidencialidade, a intimidade das pessoas, grupos ou organizações, a que tenha acesso no exercício profissional”. - COMO SEI SE DEVO LEVAR MEU FILHO OU MINHA FILHA AO PSICÓLOGO? A criança ainda não possui discernimento suficiente para reconhecer a necessidade de uma ajuda profissional. O adolescente, por sua vez, pode até sentir a necessidade de buscar ajuda, mas muitas vezes não sabe como pedir e onde procurar. Determinados comportamentos sinalizam a necessidade de apoio psicoterapêutico. Neste sentido, os pais precisam estar atentos aos sinais, para reconhecer quando o filho(a) está manifestando algum padrão de comportamento, ou apresentando algum distúrbio físico ou emocional diferente do usual, a tal ponto de prejudicar sua qualidade de vida. Além disso, a escola e o médico podem indicar seu filho (a) ao psicólogo. Neste caso, é necessário uma conversa franca e esclarecimento de todas as dúvidas com o profissional que realizou o encaminhamento, e se possível um relatório por escrito para auxílio da compreensão do caso. –

FIZ ALGO DE ERRADO COM MEU FILHO(A)? SOU RESPONSÁVEL PELOS PROBLEMAS DELE(A)? É muito comum que os pais se sintam culpados ou julguem ter cometido algum erro na educação de seus filhos quando estes apresentam algum tipo de questão emocional. Por isso, os pais não devem hesitar em procurar um profissional qualificado para esclarecer suas dúvidas, bem como pedir orientações em como proceder diante de determinadas situações. Nenhum pai é perfeito, assim como não existe uma “receita” pronta. O trabalho do psicólogo então deve focar em orientações específicas, avaliando individualmente qual melhor procedimento clínico para cada caso. –

QUE TIPO DE TRABALHO O PSICOTERAPEUTA REALIZARÁ COM MEU FILHO OU MINHA FILHA? COMO PODERÁ AJUDÁ-LO(A)? Na psicoterapia a idéia é estimular a externalização dos conflitos para que estes possam ser trabalhados e elaborados. Porém, a criança na maioria das vezes não consegue verbalizar aquilo que está sentindo, então o faz por meio de brincadeiras, jogos, histórias, desenhos, sandplay, entre outros recursos. O adolescente nem sempre consegue colocar em palavras alguns sentimentos, então o terapeuta sempre pode utilizar recursos não-verbais, como o sandplay e/ou desenhos, para auxiliar na expressão dos conflitos. Assim, o profissional poderá acessar o mundo interno de seu filho (a), compreender sua dinâmica e trabalhar as questões emocionais que podem estar prejudicando-o (a).

CAROLINA GUIMARÃES ARAUJO Psicóloga Clínica - PUC-SP, Mestre em Psicologia - USP Psicoterapeuta Junguiana - PUC-SP, Especialista em Avaliação Psicológica e Neuropsicológica - HC-FMUSP, www.carolina.psc.br





MOMENTO DE REFLEXÃO

Havia milhões de estrelas no céu. Estrelas de todas as cores: brancas, prateadas, verdes, douradas, vermelhas e azuis.

Um dia, elas procuraram Deus e lhe disseram:

- Senhor, gostaríamos de viver na Terra entre os homens.

- Assim será feito, respondeu o Senhor. Conservarei todas vocês pequeninas como são vistas, e podem descer para a Terra.

Conta-se que, naquela noite, houve uma linda chuva de estrelas. Algumas se aninharam nas torres das igrejas, outras foram brincar de correr com os vaga-lumes nos campos; outras se misturaram aos brinquedos das crianças e a Terra ficou maravilhosamente iluminada.

Porém, passando o tempo, as estrelas resolveram abandonar os homens e voltar para o céu, deixando a Terra escura e triste.

- Por que voltaram? - perguntou Deus, à medida que elas chegavam ao céu.

- Senhor, não nos foi possível permanecer na Terra. Lá, existe muita miséria e violência, muita maldade, muita injustiça. - responderam as estrelas.

- Claro! O lugar de vocês é aqui no céu.

Depois que chegaram todas as estrelas, conferindo o seu número, Deus falou de novo:

- Mas está faltando uma estrela. Perdeu-se no caminho?

Um anjo que estava perto retrucou:

- Não, Senhor, uma estrela resolveu ficar entre os homens. Ela descobriu que seu lugar é exatamente onde existe a imperfeição, onde há limite, aonde as coisas não vão bem, onde há luta e dor.

- Mas que estrela é essa?

- É a Esperança, Senhor. A estrela verde. A única estrela dessa cor.

Quando olharam para a Terra, a estrela não estava só. A Terra estava novamente iluminada porque havia uma estrela verde no coração de cada pessoa.


A Esperança é própria do ser humano, próprio daquele que erra, daquele que não é perfeito, daquele que não sabe como será o futuro.