Páginas


(clique abaixo para ouvir a música)

LITURGIA DIÁRIA

LITURGIA DIÁRIA - REFLEXÕES E COMENTÁRIOS

Diário de Segunda-feira 22/12/2014


Segunda-feira 22 de dezembro de 2014


"Pouca coisa é necessária para transformar inteiramente uma vida: amor no coração e sorriso nos lábios." (Martin Luther King)


EVANGELHO DE HOJE
Lc 1,46-56

— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo, + segundo Lucas.
— Glória a vós, Senhor!


Naquele tempo, 46-Maria disse: “A minha alma engrandece o Senhor, 47-e o meu espírito se alegra em Deus, meu Salvador, 48-porque olhou para a humildade de sua serva. Doravante todas as gerações me chamarão bem-aventurada, 49-porque o Todo-poderoso fez grandes coisas em meu favor. O seu nome é santo, 50-e sua misericórdia se estende, de geração em geração, a todos os que o temem.
51-Ele mostrou a força de seu braço: dispersou os soberbos de coração. 52-Derrubou do trono os poderosos e elevou os humildes. 53-Encheu de bens os famintos, e despediu os ricos de mãos vazias. 54-Socorreu Israel, seu servo, lembrando-se de sua misericórdia, 55conforme prometera aos nossos pais, em favor de Abraão e de sua descendência, para sempre”. 56Maria ficou três meses com Isabel; depois voltou para casa.



Palavra da Salvação
Glória a vós Senhor.





MEDITAÇÃO DO EVANGELHO
Padre Queiroz


O Todo-poderoso fez grandes coisas em meu favor.
Este Evangelho traz para nós o belíssimo hino que Maria cantou na casa de Isabel, o Magnificat. É a mais bela oração de agradecimento a Deus, de todos os tempos.
Maria fica feliz e agradece a Deus a Redenção, já presente naquela criança que ela traz em seu ventre. Agora sim, realizou-se a esperança multissecular do seu povo.
Nosso Deus é poderoso, e vem com a força de seu braço. A sua misericórdia, manifestada no passado, “se estende de geração em geração, a todos os que o temem”. Portanto, também a nós, do Séc. XXI. E Maria se alegra por Deus mostrar o seu amor preferencial aos pequenos e necessitados.
É interessante o local em que Maria canta o Magnificat: A casa de Isabel, onde ela estava para ajudar a prima. É assim que se constrói o Reino de Deus, nós dando o primeiro passo.
Maria mostra uma fé tão grande, que já canta a realização da redenção, mesmo antes de esta acontecer. Ela via a encarnação como o início de um mundo novo, onde os soberbos são dispersados, os poderosos são derrubados de seus tronos, os famintos têm abundância de bens e os ricos são despedidos de mãos vazias.
Vemos neste hino que Maria não vê a salvação de Deus como algo apenas espiritual ou do futuro. Ela vê a vida nova trazida pelo Filho como um programa para aqui e agora, transformando radicalmente a sociedade. Deus é poderoso, santo, justo e misericordioso.
“A sua misericórdia se estende de geração em geração.” Portanto, nós também somos beneficiários dela. Deus continua hoje mostrando a força de seu braço.
“O Senhor olhou para a humildade de sua serva... Ele fez grandes coisas em meu favor. O seu nome é santo!” Em outras palavras: Tudo isso é mérito de Deus, não meu.
Antífona do Ó: “Ó Rei das nações, Desejado dos povos; Ó Pedra angular, que os opostos unis: Ó, vinde e salvai este homem tão frágil, que um dia criastes do barro da terra!”
Existe no Nordeste brasileiro um peixinho cor de terra, cascudinho, chamado bodó. Ele é o terror do povo, pois, aos milhares, vão roendo as barragens das represas e açudes e estas acabam se rompendo, ficando o povo sem água.
O bodó é pequeno, mas a sua força está no trabalho conjunto do cardume. Neste ponto ele é um exemplo para nós. “Não tenhas medo, pequeno rebanho, pois foi do agrado do vosso Pai dar a vós o Reino” (Lc 12,32). A mesma força mostraram os cristãos no tempo do império romano. A união dos discípulos de Jesus acabou derrubando o gigante.
Vamos também nós, neste advento, nos alegrarmos pela vinda do Salvador e, quem sabe, darmos o primeiro passo, saindo de nossas casas para visitar alguém. A sociedade só será transformada no dia em que cada coração humano for transformado, começando pelo nosso.
O Todo-poderoso fez grandes coisas em meu favor.






MOTIVAÇÃO NO TRABALHO

10 pequenas coisas que fazem uma grande diferença


Professor, o problema não é de conhecimento. O que falta é berço, disse-me a empresária ao relatar os problemas que estava enfrentando em relação às pessoas em suas empresas. São pequenas coisas que deveriam ter sido ensinadas em casa ou na pré-escola, desabafou. Fizemos uma lista com algumas dicas simples que fariam uma enorme diferença para melhorar o clima de uma empresa:

Lembre-se sempre de dizer com licença; por favor e obrigado, mesmo que alguém esteja cumprindo sua obrigação ou seja muito amigo;
Fale baixo. Ria baixo. Não seja inconveniente;
Use o telefone e a internet somente para assuntos de trabalho. Evite usar esses meios para assuntos particulares;
Ao tomar emprestada alguma coisa, nunca se esqueça de devolver e agradecer;
Ajude a manter limpo o ambiente de trabalho. Mantenha limpo o sanitário após o uso. Cuidado com copos e xícaras sujas. Jogue os copinhos de café no local apropriado. Arrume sua mesa de trabalho;
Respeite a fila. Mesmo que ache desnecessário respeitá-la, porque vai pegar só uma coisa, etc. Não queira parecer esperto;
Não fale mal dos outros. Não se envolva em fofocas;
Cuidado com as anedotas e brincadeiras pessoais, como apelidos, etc. Cuidado para não ofender as pessoas;
Cuide de sua imagem. Vista-se sobriamente. Afinal você está num ambiente de trabalho e não numa festa ou diversão;
Controle a sua agressividade. Cuidado com a forma de falar e escrever. Não seja rude.
São coisas simples que farão uma enorme diferença para que o clima de sua empresa favoreça a produtividade e a excelência.

Pense nisso. Sucesso!






MOMENTO DE REFLEXÕES


O homem estava trabalhando.
Era noite já.
Ele era porteiro, ia fechar o estabelecimento.
Talvez morasse longe... Talvez fosse pegar duas conduções, aquele homem.
Chegar em casa de madrugada, dormir e voltar para o trabalho.
É a vida.
Logo se vê que não era moleza a vida daquele homem empregado ali há apenas três dias.
Mas duro foi dar de cara, na porta do estabelecimento com um bandido.
Queria entrar, o bandido.
Queria porque queria.
Pelo que se desenrolou depois eu imagino o que o bandido deve ter gritado na porta: 
- Sabe com quem ta falando?
Teve a entrada autorizada pelo gerente.
É estarrecedora a cena daquele juiz, no Ceará, atirando na nuca do porteiro do supermercado. As câmeras entre as prateleiras do local registraram quando ele se dirigiu ao porteiro que o irritara na porta, e a execução, a sangue frio. O que mais se pode pensar depois disso? Teria o bandido já executado outras pessoas indefesas? Testemunhas viram o porteiro implorar pela vida. E o que sentiu a família, os filhos do porteiro-vítima-do-bandido-juiz, assistindo o acontecido pela televisão, como se fosse a propaganda de um produto do supermercado, entre uma notícia e outra do telejornal. Uma propaganda de um pacote de chá, quem sabe. Chá de erva-cidreira.
Quem assistiu o jornal pela televisão no dia seguinte ao assassinato pôde ouvir o presidente do
Superior Tribunal de Justiça pedir, não sem um risinho – eu não entendi aquele risinho -  para as pessoas tomarem algum chá de erva-cidreira, quem sabe, um medicamento, para se acalmarem. Muitas coisas poderiam ser sugeridas para eles tomarem, desde arsênico até vergonha na cara. Ia fazer um bem danado para a humanidade.
Dessa vez não há pessoas nem a imprensa de fora cobrando justiça como no caso da irmã Dorothy no Pará.
E aí?
Se esse juiz não for para a cadeia não dá para acreditar em mais nada. Muito menos em chá de erva-cidreira recomendado com risinho de “Madalena  arrependida” do judiciário, o que significa que os bandidos, esses sim, vão continuar vivendo.

Cissa de Oliveira





Diário de Domingo 21/12/2014


Domingo, 21 de dezembro de 2014


“Não me sinto obrigado a acreditar que o mesmo Deus que nos dotou de sentidos, razão e intelecto, pretenda que não os utilizemos.” Galileu Galilei



EVANGELHO DE HOJE
Lc 1,26-38

— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo, + segundo Lucas.


Quando Isabel estava no sexto mês de gravidez, Deus enviou o anjo Gabriel a uma cidade da Galiléia chamada Nazaré. O anjo levava uma mensagem para uma virgem que tinha casamento contratado com um homem chamado José, descendente do rei Davi. Ela se chamava Maria. O anjo veio e disse:
- Que a paz esteja com você, Maria! Você é muito abençoada. O Senhor está com você.
Porém Maria, quando ouviu o que o anjo disse, ficou sem saber o que pensar. E, admirada, ficou pensando no que ele queria dizer. Então o anjo continuou:
- Não tenha medo, Maria! Deus está contente com você. Você ficará grávida, dará à luz um filho e porá nele o nome de Jesus. Ele será um grande homem e será chamado de Filho do Deus Altíssimo. Deus, o Senhor, vai fazê-lo rei, como foi o antepassado dele, o rei Davi. Ele será para sempre rei dos descendentes de Jacó, e o Reino dele nunca se acabará.
Então Maria disse para o anjo:
- Isso não é possível, pois eu sou virgem!
O anjo respondeu:
- O Espírito Santo virá sobre você, e o poder do Deus Altíssimo a envolverá com a sua sombra. Por isso o menino será chamado de santo e Filho de Deus. Fique sabendo que a sua parenta Isabel está grávida, mesmo sendo tão idosa. Diziam que ela não podia ter filhos, no entanto agora ela já está no sexto mês de gravidez. Porque para Deus nada é impossível.
Maria respondeu:
- Eu sou uma serva de Deus; que aconteça comigo o que o senhor acabou de me dizer!
E o anjo foi embora.



Palavra da Salvação
Glória a vós Senhor.




 MEDITAÇÃO DO EVANGELHO

Pe. Antônio Queiroz CSsR



Alegra-te, cheia de graça, o Senhor está contigo!
 Hoje é com muita alegria que nós celebramos a solenidade da Imaculada Conceição de Nossa Senhora. O Evangelho narra a cena da Anunciação, em que o anjo Gabriel lhe fala: “Alegra-te, cheia de graça, o Senhor está contigo!”
Deus quis que uma mulher contribuísse bem de perto na redenção da humanidade, já que uma mulher, Eva, havia contribuído no pecado. E a mulher que Deus escolheu não podia ser vítima de pecado, pois seria um sinal de fraqueza de Deus, diante das forças do mal. Como Davi venceu o gigante Golias (1Sm 17,49), Jesus derrotou o tentador. Não só derrotou, mas arrasou com ele completamente. Nem junto à sua mãe ele teve vez. Após o dilúvio, uma pomba trouxe em seu bico um raminho verde para Noé (Gn 8,11). Aquela pomba não estava suja de barro, ela não fora atingida pelo dilúvio.
Nós também somos chamados a colaborar na redenção. Deus não gosta de gente manchada, suja. Como podemos anunciar a vitória de Cristo, se até nós, os anunciadores, somos vítima do tentador? Pecadores todos nascemos. Mas temos condições de nos purificar, usando os meios que Jesus nos deixou, entre os quais se destaca a Igreja, da qual Maria é Mãe. Assim, tirando a trave do nosso olho, temos condições de tirar o cisco que está no olho do nosso irmão.
A concepção imaculada de Maria nos mostra que Deus não quer conviver com pecado. Ele quer o pecado longe dele. Ele nos suporta, quando pecamos, mas não queria isso, como qualquer pai que não quer ver o filho ou filha no caminho errado. Como podemos dizer a Deus: “Senhor, eu vos amo sobre todas as coisas”, e depois viramos as costas e já começamos a colocar outras coisas acima dele? Por isso que Deus fala na Bíblia: “Estou para vomitar-te da minha boca” (Ap 3,16).
A Imaculada Conceição foi um fruto antecipado da redenção realizada por Jesus, o seu Filho. E o fato de ela ter sido isenta do pecado, já na sua concepção, mostra que a força da graça redentora supera infinitamente a força do pecado. “Onde abundou o pecado, superabundou a graça” (Rm 5,20).
“Quando éreis escravos do pecado, praticáveis ações das quais hoje vos envergonhais. Agora, porém, libertados do pecado e como servos de Deus, produzis frutos para a vossa santificação, tendo como meta a vida eterna. Com efeito, a paga do pecado é a morte, mas o dom de Deus é a vida eterna no Cristo Jesus, nosso Senhor” (Rm 6,20-23). Antes, quando reinava o pecado, o carro estava na frente dos bois, e dava tudo errado. Cristo veio, colocou os bois na frente do carro, e na direção certa, que é a nossa felicidade.
Deus realizou plenamente a redenção na Mãe do seu Filho, para nos mostrar o que ele quer de todos nós. Ela se tornou assim a estrela da esperança, que nos anima a sempre nos levantar a caminhar.
Santo Agostinho, quando estava mergulhado no pecado, leu, por sugestão de sua mãe, muitas biografias de santos. Um dia ele disse para si mesmo, em latim, que era a sua língua: “Potuerunt ii, potuerunt ee; cur non tu, Agostiné?” Em português é: “Puderam estes, puderam aquelas, por que não tu, Agostinho?” Impulsionado por este lema, venceu.
Daqui a exatamente nove meses, celebraremos o nascimento de Maria. Rezemos, neste tempo, pelos nascituros, a fim de que sejam protegidos por suas mães.
Havia, certa vez, um rapaz que trabalhava no centro de uma cidade grande e morava na periferia.
Numa tarde, ao voltar para casa, enquanto atravessava um bairro de classe alta, viu numa lixeira uma caixa preta, parecida com caixa de sanfona. Ficou curioso, abriu a caixa, era mesmo uma sanfona! E estava boa de tudo. Tocava direitinho.
Ele se lembrou de um vizinho, que sabia tocar sanfona e não possuía o instrumento, e levou-a para ele. O vizinho se alegrou com o presente, e começou a tocar belas canções. A casa toda se alegrou. Até algumas crianças apareceram na porta.
À noite, algumas pessoas se reuniram na casa, e foi aquela festa. Daí para frente, de vez em quando o tocador de sanfona era chamado, seja para tocar em festinha de aniversário, em reza, até na Santa Missa. A sanfona tornou aquele bairro mais alegre.
A sanfona representa a graça de Deus, que une as pessoas e alegra o ambiente. O rapaz que a achou somos nós que recebemos a graça no batismo, e a levamos a outros.
Muitos jogam no lixo a graça batismal, e vivem tristes por aí, procurando a felicidade na riqueza, no prazer, no poder etc. Nós não queremos ser assim.
Uma pergunta: com qual desses personagens você mais se identifica? Com o rapaz? Com o homem que ganhou a sanfona? Com os vizinhos que acorreram, ao som da sanfona? Ou com aquele ou aquela que a jogou no lixo?
Nossa Senhora da Conceição, rogai por nós!
Alegra-te, cheia de graça, o Senhor está contigo!





VÍDEO DA SEMANA

Não viver para os outros - Pe. Fábio de Melo








MOMENTO DE REFLEXÃO


Existe um poder imenso nas palavras faladas, mas poucos têm consciência dele. As palavras devem ser consideradas os alicerces daquilo que construímos na vida. Usamos palavras o tempo todo e raramente pensamos no que dizemos e como falamos. Como prestamos pouca atenção a nossa escolha de palavras, a maioria de nós fala muito com negativas...

     Lembre-se sempre: existe poder em suas palavras. O poder vem quando você assume a responsabilidade por sua vida... E para ser responsável por sua vida, você tem de ser responsável pelas palavras que saem de sua boca. As palavras e frases que você emite são extensões de seus pensamentos. Portanto, comece a prestar atenção ao que você diz. Se estiver usando palavras negativas ou limitadoras, modifique-as...

     Quando estiver com outras pessoas, preste atenção ao que elas dizem e ao modo como falam. Veja se é capaz de associar o que disseram às situações que elas estão vivendo. Repare que muita gente vive na base do "eu deveria"... São pessoas que ficam imaginando porque não conseguem sair de situações desagradáveis. O fato é que elas querem controlar coisas que não podem controlar...

     Outra expressão que precisa ser removida da fala e pensamento é "tenho de". Conseguir isso é aliviar muito a pressão que impõe a você mesmo ao usar essa expressão... Em vez disso, comece a falar "escolho"... a palavra escolher pode dar uma perspectiva completamente diferente a sua vida.

    
Lembre-se sempre que tudo o que você faz é por escolha, mesmo que não lhe pareça...Quer saber o que você anda pensando e como tem falado? Então faça um pequeno exercício. Coloque um gravador perto de seu telefone e ligue-o sempre que der ou receber uma chamada. Quando a fita estiver totalmente gravada dos dois lados, ouça o que você disse e que palavras usou. Provavelmente você ficará chocado.

     A partir daí, comece a prestar atenção às palavras que costuma usar e em sua inflexão de voz. Se perceber que repete a mesma expressão três ou mais vezes, anote-a; isso é um de seus padrões de pensamento. Alguns desses padrões serão positivos e capazes de lhe proporcionar apoio, mas certamente você encontrará alguns muito negativos que só o estão prejudicando.


By Louise L. Hay no livro "O poder dentro de você"

DIÁRIO DE SÁBADO 20/12/2014



Sábado, 20 de dezembro de 2014


“Nunca dê conselhos. Os ignorantes não darão atenção a eles e os mais sábios não necessitam deles.”


EVANGELHO DE HOJE
Lc 1,26-38

— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo, + segundo Mateus.


Quando Isabel estava no sexto mês de gravidez, Deus enviou o anjo Gabriel a uma cidade da Galiléia chamada Nazaré. O anjo levava uma mensagem para uma virgem que tinha casamento contratado com um homem chamado José, descendente do rei Davi. Ela se chamava Maria. O anjo veio e disse:
- Que a paz esteja com você, Maria! Você é muito abençoada. O Senhor está com você.
Porém Maria, quando ouviu o que o anjo disse, ficou sem saber o que pensar. E, admirada, ficou pensando no que ele queria dizer. Então o anjo continuou:
- Não tenha medo, Maria! Deus está contente com você. Você ficará grávida, dará à luz um filho e porá nele o nome de Jesus. Ele será um grande homem e será chamado de Filho do Deus Altíssimo. Deus, o Senhor, vai fazê-lo rei, como foi o antepassado dele, o rei Davi. Ele será para sempre rei dos descendentes de Jacó, e o Reino dele nunca se acabará.
Então Maria disse para o anjo:
- Isso não é possível, pois eu sou virgem!
O anjo respondeu:
- O Espírito Santo virá sobre você, e o poder do Deus Altíssimo a envolverá com a sua sombra. Por isso o menino será chamado de santo e Filho de Deus. Fique sabendo que a sua parenta Isabel está grávida, mesmo sendo tão idosa. Diziam que ela não podia ter filhos, no entanto agora ela já está no sexto mês de gravidez. Porque para Deus nada é impossível.
Maria respondeu:
- Eu sou uma serva de Deus; que aconteça comigo o que o senhor acabou de me dizer!
E o anjo foi embora.



Palavra da Salvação
Glória a vós Senhor.





 MEDITAÇÃO DO EVANGELHO

Pe. Antônio Queiroz CSsR



Alegra-te, cheia de graça, o Senhor está contigo!
 Hoje é com muita alegria que nós celebramos a solenidade da Imaculada Conceição de Nossa Senhora. O Evangelho narra a cena da Anunciação, em que o anjo Gabriel lhe fala: “Alegra-te, cheia de graça, o Senhor está contigo!”
Deus quis que uma mulher contribuísse bem de perto na redenção da humanidade, já que uma mulher, Eva, havia contribuído no pecado. E a mulher que Deus escolheu não podia ser vítima de pecado, pois seria um sinal de fraqueza de Deus, diante das forças do mal. Como Davi venceu o gigante Golias (1Sm 17,49), Jesus derrotou o tentador. Não só derrotou, mas arrasou com ele completamente. Nem junto à sua mãe ele teve vez. Após o dilúvio, uma pomba trouxe em seu bico um raminho verde para Noé (Gn 8,11). Aquela pomba não estava suja de barro, ela não fora atingida pelo dilúvio.
Nós também somos chamados a colaborar na redenção. Deus não gosta de gente manchada, suja. Como podemos anunciar a vitória de Cristo, se até nós, os anunciadores, somos vítima do tentador? Pecadores todos nascemos. Mas temos condições de nos purificar, usando os meios que Jesus nos deixou, entre os quais se destaca a Igreja, da qual Maria é Mãe. Assim, tirando a trave do nosso olho, temos condições de tirar o cisco que está no olho do nosso irmão.
A concepção imaculada de Maria nos mostra que Deus não quer conviver com pecado. Ele quer o pecado longe dele. Ele nos suporta, quando pecamos, mas não queria isso, como qualquer pai que não quer ver o filho ou filha no caminho errado. Como podemos dizer a Deus: “Senhor, eu vos amo sobre todas as coisas”, e depois viramos as costas e já começamos a colocar outras coisas acima dele? Por isso que Deus fala na Bíblia: “Estou para vomitar-te da minha boca” (Ap 3,16).
A Imaculada Conceição foi um fruto antecipado da redenção realizada por Jesus, o seu Filho. E o fato de ela ter sido isenta do pecado, já na sua concepção, mostra que a força da graça redentora supera infinitamente a força do pecado. “Onde abundou o pecado, superabundou a graça” (Rm 5,20).
“Quando éreis escravos do pecado, praticáveis ações das quais hoje vos envergonhais. Agora, porém, libertados do pecado e como servos de Deus, produzis frutos para a vossa santificação, tendo como meta a vida eterna. Com efeito, a paga do pecado é a morte, mas o dom de Deus é a vida eterna no Cristo Jesus, nosso Senhor” (Rm 6,20-23). Antes, quando reinava o pecado, o carro estava na frente dos bois, e dava tudo errado. Cristo veio, colocou os bois na frente do carro, e na direção certa, que é a nossa felicidade.
Deus realizou plenamente a redenção na Mãe do seu Filho, para nos mostrar o que ele quer de todos nós. Ela se tornou assim a estrela da esperança, que nos anima a sempre nos levantar a caminhar.
Santo Agostinho, quando estava mergulhado no pecado, leu, por sugestão de sua mãe, muitas biografias de santos. Um dia ele disse para si mesmo, em latim, que era a sua língua: “Potuerunt ii, potuerunt ee; cur non tu, Agostiné?” Em português é: “Puderam estes, puderam aquelas, por que não tu, Agostinho?” Impulsionado por este lema, venceu.
Daqui a exatamente nove meses, celebraremos o nascimento de Maria. Rezemos, neste tempo, pelos nascituros, a fim de que sejam protegidos por suas mães.
Havia, certa vez, um rapaz que trabalhava no centro de uma cidade grande e morava na periferia.
Numa tarde, ao voltar para casa, enquanto atravessava um bairro de classe alta, viu numa lixeira uma caixa preta, parecida com caixa de sanfona. Ficou curioso, abriu a caixa, era mesmo uma sanfona! E estava boa de tudo. Tocava direitinho.
Ele se lembrou de um vizinho, que sabia tocar sanfona e não possuía o instrumento, e levou-a para ele. O vizinho se alegrou com o presente, e começou a tocar belas canções. A casa toda se alegrou. Até algumas crianças apareceram na porta.
À noite, algumas pessoas se reuniram na casa, e foi aquela festa. Daí para frente, de vez em quando o tocador de sanfona era chamado, seja para tocar em festinha de aniversário, em reza, até na Santa Missa. A sanfona tornou aquele bairro mais alegre.
A sanfona representa a graça de Deus, que une as pessoas e alegra o ambiente. O rapaz que a achou somos nós que recebemos a graça no batismo, e a levamos a outros.
Muitos jogam no lixo a graça batismal, e vivem tristes por aí, procurando a felicidade na riqueza, no prazer, no poder etc. Nós não queremos ser assim.
Uma pergunta: com qual desses personagens você mais se identifica? Com o rapaz? Com o homem que ganhou a sanfona? Com os vizinhos que acorreram, ao som da sanfona? Ou com aquele ou aquela que a jogou no lixo?
Nossa Senhora da Conceição, rogai por nós!
Alegra-te, cheia de graça, o Senhor está contigo!





CASA, LAR E FAMÍLIA


Dicas de combate ao desperdício de alimentos


- Os talos de couve, agrião, beterraba, brócolis e salsa, entre outros, contém fibras e devem ser aproveitados em refogados, no feijão e na sopa.

- Não jogue fora os talos do agrião, pois eles contém muitas vitaminas. Limpe, pique e refogue com tempero e ovos batidos.

- As folhas da cenoura são ricas em vitamina A e devem ser aproveitadas para fazer bolinhos, sopas ou picadinhos em saladas. O mesmo pode se dizer das folhas duras da salsa.

- A água do cozimento das batatas acaba concentrando todas as vitaminas. Aproveite-a, juntando leite em pó e manteiga para fazer purê.

- As cascas da batata, depois de bem lavadas, podem ser fritas em óleo quente e servidas como aperitivo.

- A casca da laranja fresca pode ser usada em pratos doces à base de leite, como arroz doce e cremes.

- A parte branca da melancia pode ser usada para fazer doce, que se prepara como o doce de mamão verde.

- Com as cascas das frutas (ex: goiaba, abacaxi, etc), pode-se preparar sucos batendo-as no liqüidificador. Este suco pode ser aproveitado para substituir ingredientes líquidos no preparo de bolos.

- Evite consumir folhas com aparência amarelada.

- Cozinhe as verduras a vapor, assim elas não perderão o valor nutritivo.

- Quando for ralar a casca do limão, nunca chegue à parte branca, pois ela é amarga e pode prejudicar o sabor doce da preparação.

Cascas, folhas e talos também devem fazer parte do seu cardápio

É importante a utilização de cascas, talos e folhas, pois o aproveitamento integral dos alimentos, além de diminuir os gastos com alimentação e melhorar a qualidade nutricional do cardápio, reduz o desperdício de alimentos, e torna possível a criação de novas receitas.

Esse conceito deve ser realizado no dia a dia por qualquer pessoa, independentemente de sua classe social ou econômica. Isso significa eliminar alguns preconceitos alimentares de que esse tipo de alimentação é somente usada em programas sociais voltados para população de baixa renda, e não levam em conta o valor nutricional de alguns alimentos, que quase sempre está concentrado nas cascas ou folhas.

Essas partes do alimento que posteriormente iriam para o lixo podem ser bem aproveitadas, servindo para suprir a carência de nutrientes no organismo, e tornando o cardápio mais saudável e criativo.

Procedimentos de higienização

Como higienizar frutas, verduras e legumes:

Lembrando que o manipulador deve sempre lavar as mãos com água e sabão, quando estiver em contato com qualquer tipo de preparação alimentícia.

1. Lavar muito bem os alimentos em água corrente, um a um;
2. Colocar os alimentos em água clorada, por 15 minutos;
Para cada litro de água, colocar uma colher de sopa de cloro, e sempre observar no rótulo a recomendação do fabricante.
3. Após, deve-se retirar e enxaguar em água corrente.

http://www.bancodealimentos.org.br/por/receitas/index.htm






MOMENTO DE REFLEXÃO


No Alasca, um esporte tradicional é cortar árvores. Há lenhadores famosos, com domínio, habilidade e energia no uso do machado. Querendo tornar-se também um grande lenhador, um jovem escutou falar do melhor de todos os lenhadores do país. Resolveu procurá-lo.

- Quero ser seu discípulo. Quero aprender a cortar árvore como o senhor.

O jovem empenhou-se no aprendizado das lições do mestre, e depois de algum tempo achou-se melhor que ele. Mais forte, mais ágil, mais jovem, venceria facilmente o velho lenhador. Desafiou o mestre para uma competição de oito horas, para ver qual dos dois cortaria mais árvores.

O desafio foi aceito, e o jovem lenhador começou a cortar árvores com entusiasmo e vigor. Entre uma árvore e outra, olhava para o mestre, mas na maior parte das vezes o via sentado. O jovem voltava às suas árvores, certo da vitória, sentindo piedade pelo velho mestre.

Quando terminou o dia, para grande surpresa do jovem, o velho mestre havia cortado muito mais árvores do que o seu desafiante.

- Mas como é que pode? – surpreendeu-se. Quase todas as vezes em que olhei, você estava descansando!

- Não, meu filho, eu não estava descansando. Estava afiando o machado. Foi por isso que você perdeu.


Aprendizado é um processo que não tem fim. Sempre temos algo a aprender. O tempo utilizado para afiar o machado é recompensado valiosamente. O reforço no aprendizado, que dura a vida toda, é como afiar sempre o machado. Continue afiando o seu.

Diário de Sexta-feira 19/12/2014



Sexta-feira, 19 de dezembro de 2014


“Deixo que o mundo viva como quer e permito a mim mesmo de viver como desejo.”


EVANGELHO DE HOJE
Lc1,5-25

— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo, + segundo Mateus.


Quando Herodes era o rei da terra de Israel, havia um sacerdote chamado Zacarias, que era do grupo dos sacerdotes de Abias. A esposa dele se chamava Isabel e também era de uma família de sacerdotes. Esse casal vivia a vida que para Deus é correta, obedecendo fielmente a todas as leis e mandamentos do Senhor. Mas não tinham filhos porque Isabel não podia ter filhos e porque os dois já eram muito velhos.
Certo dia no Templo de Jerusalém, Zacarias estava fazendo o seu trabalho de sacerdote, pois era a sua vez de fazer aquele trabalho diário. Conforme o costume dos sacerdotes, ele havia sido escolhido por sorteio para queimar o incenso no altar e por isso entrou no Templo do Senhor. Durante o tempo em que o incenso queimava, o povo lá fora fazia orações. Então um anjo do Senhor apareceu em frente de Zacarias, de pé, do lado direito do altar. Quando Zacarias o viu, ficou com medo e não sabia o que fazer. Mas o anjo lhe disse: – Não tenha medo, Zacarias, pois Deus ouviu a sua oração! A sua esposa vai ter um filho, e você porá nele o nome de João. O nascimento dele vai trazer alegria e felicidade para você e para muita gente, pois para o Senhor Deus ele será um grande homem. Ele não deverá beber vinho nem cerveja. Ele será cheio do Espírito Santo desde o nascimento e levará muitos israelitas ao Senhor, o Deus de Israel. Ele será mandado por Deus como mensageiro e será forte e poderoso como o profeta Elias. Ele fará com que pais e filhos façam as pazes e que os desobedientes voltem a andar no caminho direito. E conseguirá preparar o povo de Israel para a vinda do Senhor.
Então Zacarias perguntou ao anjo: – Como é que eu vou saber que isso é verdade? Estou muito velho, e a minha mulher também. O anjo respondeu: – Eu sou Gabriel, servo de Deus, e ele me mandou falar com você para lhe dar essa boa notícia. Você não está acreditando no que eu disse, mas isso acontecerá no tempo certo. E, porque você não acreditou, você ficará mudo e não poderá falar até o dia em que o seu filho nascer.
Enquanto isso, o povo estava esperando Zacarias, e todos estavam admirados com a demora dele no Templo. Quando saiu, Zacarias não podia falar. Então perceberam que ele havia tido uma visão no Templo. Sem poder falar, ele fazia sinais com as mãos para o povo. Quando terminaram os seus dias de serviço no Templo, Zacarias voltou para casa. Pouco tempo depois Isabel, a sua esposa, ficou grávida e durante cinco meses não saiu de casa. E ela disse: – Agora que o Senhor me ajudou, ninguém mais vai me desprezar por eu não ter filhos.

Palavra da Salvação
Glória a vós Senhor.





MEDITAÇÃO DO EVANGELHO
Alexandre Soledade


Bom dia!
Uma amiga minha diz que Deus usa dos anjos para nos nortear, mas nossa vida diária e os fatos que já nos aconteceram nela, principalmente nas relações sociais que temos e tivemos, fazem a gente duvidar constantemente. É o tal do pé atrás!
Deus quer algo de mim e de você! Tenha certeza disso!
Assim como o anúncio do nascimento de Jesus foi uma surpresa para Maria e José, o de João Batista também foi. Zacarias já tinha seus anos avançados, tinha o respeito da comunidade, seus preceitos e suas crenças. Não é surpresa alguém com tamanha experiência não acreditar no que dizia aquele anjo. Temos convívios com pessoas e elas metem. É normal do ser humano duvidar.
Benjamin Franklin dizia que “a tragédia da vida é que nos tornamos velhos cedo demais e sábios tarde demais.”. Se fossemos sábios, ou aceitássemos a sabedoria mais cedo não ficaríamos mudos aos olhos do mundo como Zacarias ficou. Padre Jonas diz em uma música que “tarde te encontrei” como reconhecimento que deveria ter começado mais cedo seu trabalho com a plena vitalidade da juventude.
(…) e meu coração alegrou-se nela. Meus pés andaram por caminho reto: desde a minha juventude tenho procurado encontrá-la. (Eclesiástico 51,20)
Como citei acima, em virtude de nossas relações sociais criamos “pés atrás” quanto a muitas coisas, sendo assim podemos dizer que somos, de certa forma, produto do meio que estamos ou fomos inseridos. Esse meio tem muita influencia inclusive sobre como enfrentamos os problemas mais corriqueiros como os mais difíceis.
O povo esperava a muito tempo pela vinda do messias tão prometido e a opressão imposta pelos conquistadores ao longo dos anos, nesse caso os romanos, facilitava uma cultura de descrença coletiva. Esse dia então chega com o anúncio da vinda daquele que aplainaria os caminhos do messias.
Um sacerdote ancião, inserido num povo amedrontado, oprimido e de fé fragilizada recebe a noticia que sua esposa estéril daria a luz a um filho. Muitos porém podem questionar a falta de fé de Zacarias, mas e a nossa fé como anda? Coisas e fatos bem mais simples deixam ou deixaram de acontecer, pois não passam ou passaram pela nossa razão.
Quantos anjos Deus pôs em nossas vidas e também, por medo ou descrença, duvidamos?
A mulher que era estéril que dá a luz é um fato extraordinário provocado pela mão de Deus, aí poderíamos nos perguntar: Deus fez isso para provar seu poder, provando assim para o descrente Zacarias que podia fazê-lo? Não! Alguma vez já se perguntou da fé de Isabel?
Zacarias era sim um homem bom e honesto, mas como qualquer pessoa vacilou por um instante. Recordo José, que precisou ser alertado em sonho que tudo aquilo que Maria dizia era verdade. O mundo nos ensina a sermos descrentes e a forma que nos relacionamos neste mundo nos faz credenciam como capazes ou não.
Se não temos sucesso profissional e financeiro temos mania de dizer que não somos tão bons como aqueles que têm. Se minhas decisões me levaram a ter dívidas impagáveis ou que impeçam meu crescimento, não são frutos da minha suposta falta de inteligência, mas talvez da minha capacidade de não crer que poderia fazer.
Por mais que o meio que nos cerca nos ofereça motivos para desacreditar, preciso vencer o mau prognóstico, às vezes até oriundo dos nossos familiares, é continuar acreditando, pois nossa capacidade vem de Deus.
“(…) É por Cristo que temos tal confiança perante Deus. Por nós mesmos, não somos capazes de pôr a nosso crédito qualquer coisa como vinda de nós; A NOSSA CAPACIDADE VEM DE DEUS…“. (II Coríntios 3, 4-5)
Se entendermos e acreditarmos que tudo é possível e nossa capacidade vai além de nossa fé, faremos o impossível.
Por fim reflita:
“Devemos navegar algumas vezes a favor do vento e outras contra ele – mas temos de navegar sempre, e não nos deixar levar pelo vento, nem jogar a âncora”. Oliver W. Holmes
Um imenso abraço fraterno.






CULINÁRIA


Creme Com Morangos e Ganache de Chocolate Branco

Ingredientes da Primeira Camada

- 150 g de bolacha de leite (Marilan)
- leite o quanto baste para umedecer as bolachas

Creme:- 1 litro de leite

- 4 colheres (sopa) rasas de amido de milho
- 3 gemas (peneiradas)
- 4 colheres (sopa) rasas de açúcar refinado
- 1 colher (sopa) margarina
- 1 colher (sobremesa) de essência de baunilha
- 1 lata de leite condensado


Recheio
- 3 caixinha de morangos picados (cortar em 4 partes)

Ganache
- 1 lata de creme de leite
- 1 barra (170 g) de chocolate Laka (Lacta)


Modo de Preparo

Primeira Camada
Umedecer as bolachas no leite e forrar o fundo do refratário.

Creme: Misturar todos os ingredientes, menos a essência de baunilha, levar ao fogo até formar um creme. Acrescente a essência de baunilha, misture bem. Desligue o fogo. Reserve até esfriar.

Ganache: Coloque o Creme de Leite em um recipiente refratário, o chocolate picadinho e leve ao banho-maria, mexendo sempre até que a água ferva. Desligue o fogo quando formar um creme homogêneo.




Frango cremoso

1 kg de peito de frango sem osso
1 Colher(sopa) de óleo
3 Dentes de alho
2 Tomates picados
1 Xicara (chá) de cheiro verde
1 Lata de milho verde
1 Caixinha de creme de leite
1 Pacote de batata palha
Fatias de mussarella
Sal a gosto

Tempere o frango com sal e o alho moído.
Coloque o óleo na panela de pressão e acrescente o frango. Deixe dourar cubra com água fervente , tampe a panela e cozinhe até ficar bem molinho. Tire deixe esfriar e desfie.
Bata a metade do milho com a água e o creme de leite. Misture com o frango desfiado, acrescente o restante do milho, mexa bem e coloque num refratário.
Cubra com uma camada farta de mussarela e por cima uma camada de batata palha
Leve ao fogo até ficar douradinho.





MOMENTO DE REFLEXÃO


O Presente ESCUTAR... Você deve realmente escutar. Sem interrupção, sem distração, sem planejar sua resposta. Apenas escutar.



O Presente AFEIÇÃO... Seja generoso e dê muitos abraços, beijos, tapinhas nas costas e apertos de mão. Deixe estas pequenas ações demonstrarem o amor que você tem pela família e amigos.



O Presente SORRISO... Junte alguns desenhos. Compartilhe artigos e histórias engraçadas. Seu presente será dizer: "Eu adoro rir com você."



O Presente MENSAGEM... Pode ser um simples bilhete de "Muito obrigado por sua ajuda" ou um soneto completo. Mesmo, um breve bilhete, escrito à mão, pode ser lembrado pelo resto da vida e pode mesmo mudar uma vida.



O Presente ELOGIO... Um simples e sincero: "Você ficou muito bem de vermelho", "Você fez um super trabalho" ou "Que comida maravilhosa”, Faz o dia de alguém.



O Presente FAVOR... Todo dia, faça algo amável. Esteja sempre pronto para ajudar.



O Presente SOLIDÃO... Tem momentos em que nós não queremos nada mais do que ficar sozinhos. Seja sensível a esses momentos e dê o presente da solidão ao outro.



O Presente DISPOSIÇÃO... Uma maneira também proveitosa para sentir-se bem, é colocar-se disposto a colaborar com o outro, e isso não é difícil de ser feito.




Apesar de parecerem muito simples, Estes pequenos presentes tem o poder de se tornarem grandes, mágicos e especiais !!!